.Prefeitura de Hidrolândia

.Prefeitura de Hidrolândia

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Roberto Carlos ainda não falou sobre a mulher negra em suas músicas

Somos todos fãs do eterno rei da música popular brasileira, Roberto Carlos. Desde a década de 60, esse cara que se encarnou na pele e na alma do povo latino-americano, inspirando-se em temas como: O Caminhoneiro; Mulheres de Óculos; Mulheres Gordinhas; Mulheres de 40; Namoradas dos amigos, passando pela linha religiosa como, Jesus Cristo e Guerra dos Meninos, merece os nossos aplausos.

Robertão chega firme aos 74 anos de idade no mês de abril e, com quase seis décadas de música, com mais dois sucessos emplacados, via novelas da TV Globo em 2012: Esse cara sou eu e Furdúncio. O rei se apresentou publicamente no final de 2012, no seu clássico programa de natal da TV Globo, ao lado do cantor negro Seu Jorge e outras estrelas do Show Business. Em dezembro de 2013, o rei Roberto Carlos teve como convidados em seu tradicional programa de Natal na TV Globo, as seguintes personalidades: Erasmo Carlos, Lulu Santos, Tiago Abravanel, Fátima Bernardes,Tatá Werneck e Anitta.

É um orgulho para qualquer brasileiro, ter como ídolo, um dos maiores vendedores de discos do mundo com mais de 120 milhões de cópias. E o melhor, ele continua nesse mesmo embalo, num momento em que Barack Obama se firma como homem mais poderoso do planeta terra e Joaquim Barbosa, foi o melhor presidente da Suprema Corte brasileira em todos os tempos. Lembrando que, Barbosa se aposentou e fará palestras pelo mundo afora.

Nós afrodescendentes, que representamos mais de 60% da população brasileira e ajudamos efetivamente a construir o nosso País, gostaríamos de ver o rei Roberto Carlos, não só, ao lado do também famoso cantor Seu Jorge, na festa do Natal, mas cantando um tema que reflita a realidade de nosso povo, que tem profundas raízes na África.

O cantor Leonardo, amigo do rei de longa data, costuma nas rodas com os afrodescendentes, cantarolar a música inédita, “Mulher Negra”,que tem como autor, um compositor formosense, Antônio Victor. Seria uma bela homenagem de Roberto Carlos e Leonardo, a gravação da melodia que prestigia a mulher negra brasileira.

Parabéns Roberto Carlos! Continue sendo o cara, que você é. Desde que assumiu o trono de rei, nos anos 60, nunca perdeu a majestade, mas enfrentou crises, pessoais e profissionais, dignas do mais comum de seus súditos. Turbulências que interferiram em rotinas já transformadas em tradição, como a produção do especial levado ao ar pela TV Globo a cada 25 de dezembro e o lançamento anual de um CD de inéditas. Em 2011, por exemplo, os fãs tiveram que se contentar com a reprise, na noite de Natal, do show gravado pelo cantor em Jerusalém e com um álbum de duetos entre o rei e astros da música sertaneja. Se o mais recente disco de músicas inéditas, de 2005, veio minguado, com apenas nove faixas, em 2012 Roberto apareceu com um produto fonográfico ainda mais reduzido: um EP com apenas quatro faixas. Duas delas, bem conhecidas do público: A mulher que eu amo (feita para a trilha da novela Viver a vida) e A volta (sucesso antigo regravado no disco de 2005). As outras são: Esse cara sou eu (de Roberto) e o funk Furdúncio (de Roberto e Erasmo Carlos). Em 2013, quando o rei completou 40 anos fazendo o especial de Natal na TV Globo, quando alcançou 26 pontos no ibope, liderando com folga a corrida pela audiência, as músicas de maior sucesso foram: Furdúncio, composta em 2012 e, um Remix de Se você pensa (Erick Morillo, Harry Romero & José Nunez).









Nenhum comentário:

Postar um comentário