.Prefeitura de Hidrolândia

.Prefeitura de Hidrolândia

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Goianos nos ministérios

Goiás, além da proximidade com a capital federal, Brasília, também já foi representado nos ministérios em diversos governos. Porém, há algum tempo que nenhum goiano exerce influência nesta área, a contar os últimos governos petistas. Durante os mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, nenhum goiano foi nomeado ao ministério.
Dois goianos assumiram secretárias nos governos de Fernando Henrique Cardoso (FHC), com status de ministro. Ovídio de Ângelis ocupou cargo como secretário da Secretaria de Política Urbana indicado pelo ex-governador Iris Rezende. 
A senadora Lúcia Vânia (PSDB), também ocupou o mesmo cargo no governo do tucano.
Como membro do primeiro escalão do governo Lula, o goiano Henrique Meirelles ocupou a presidência do Banco Central, nos dois mandatos do petista.
A presidente Dilma Rousseff, após a reeleição, já movimenta as estratégias para o próximo mandato e configura a composição dos novos ministros. No entanto, para este segundo mandato, a goiana, senadora por Tocantins, Kátia Abreu (PMDB) foi cotada para assumir o Ministério da Agricultura. O cargo ainda não foi oficializado, porém rumores já induzem que a senadora poderá ser a próxima goiana dentre os ministros da petista a partir de 2015.
Alguns políticos exercem livre trânsito no governo federal, porém ainda não há confirmação oficial de nomes de Goiás para representar algum Ministério. O último a ocupar o cargo foi o peemedebista, Iris Rezende, que finalizou o período à frente do Ministério da Justiça em 1998. Com as articulações ainda no auge para o mandato que se inicia em 2015, Goiás, devido ao bom relacionamento que tem com o governo federal, principalmente com relação ao governo estadual, pode vir a apresentar algum membro que se destaque na política. No momento, Kátia Abreu pode ser o nome que representará Goiás ao lado da presidente.
Leopoldo 
de Bulhões
A inserção dos políticos goianos no governo federal teve início com José Leopoldo de Bulhões, que nasceu na Cidade de Goiás. Cursou Direito na faculdade que formava os líderes políticos da primeira república: o largo do São Francisco, da hoje Universidade de São Paulo. Leopoldo de Bulhões foi ministro da Fazenda do presidente Rodrigues Alves. São suas palavras: “escolheu como ministro da Fazenda [Rodrigues Alves, presidente da República] Leopoldo de Bulhões, um dos homens mais extraordinários que ocuparam esse cargo. Bulhões teve a visão de transformar a Casa da Moeda numa espécie de Banco Central, que regulava a atividade bancária dispondo de capital abundante para desconto do papel dos outros bancos, ampará-los nos momentos de crise. Bulhões manteve um rígido controle dos gastos públicos, intensificou a fiscalização da arrecadação de impostos, amortizou o pagamento das dívidas públicas e reduziu a massa de papel-moeda que circulava no mercado”.
Bulhões liderou seu clã na política goiana e, mesmo distante, foi membro atuante tanto na Câmara como no Senado.  Anterior a era Ludovico, esse grande político se tornou mais conhecido pelos seus feitos fora das fronteiras de Goiás do que dentro de seu Estado natal. Foi, sem dúvida, um homem público da melhor qualidade.
Alfredo Nasser
Em 12 de outubro de 1961, Alfredo Nasser foi nomeado ministro da Justiça pelo primeiro-ministro Tancredo Neves. Permaneceu no cargo até 26 de junho de 1962, por ocasião da renúncia coletiva do gabinete, reassumindo o seu mandato na Câmara Federal. No pleito de outubro de 1958 elegeu-se deputado federal por Goiás, assumindo o mandato em fevereiro de 1959. Por ocasião da crise causada pela renúncia do presidente Jânio Quadros, assinou, com outros parlamentares, uma nota na qual o grupo firmava a posição de prosseguir normalmente nos trabalhos legislativos e a intenção de defender as instituições democráticas.
A crise provocada pelo veto dos ministros militares à posse do vice-presidente João Goulart foi solucionada apenas em 2 de setembro com a adoção do regime parlamentarista. Goulart foi empossado no dia 7 de setembro. Reeleito deputado federal por Goiás em outubro de 1962, em fevereiro de 1965, já sob o regime de exceção instituído após o golpe militar de 31 de março de 1964, teve seu nome indicado para a presidência da Câmara dos Deputados. Porém, o presidente da República, marechal Humberto Castelo Branco, escolheu Olavo Bilac Pinto.
Haley Margon
Na década de 50, ele fundou a primeira fábrica de macarrão de Goiás e presidiu a Associação Comercial de Catalão. Hoje empresário, Haley Margon Vaz começou na política como vereador e presidente da Câmara Municipal e depois prefeito de sua cidade, para mais tarde ocupar diversas vezes, como secretário geral, o cargo de ministro da Agricultura, de 1989 a 1990, substituindo o então titular da pasta, Iris Rezende Machado. Foi deputado federal constituinte, a partir de 1991. Duas vezes atuou como secretário de Estado da Fazenda, na gestão Iris Rezende, e da Indústria e Comércio, no governo Maguito Vilela.
Lázaro  Barboza
Goiano de Orizona, Lázaro Barboza, foi ministro da Agricultura, de 2 de outubro de 1992 a 25 de maio de 1993, durante o governo de Itamar Franco.
Flávio Peixoto
De Jaraguá (GO), Flávio Peixoto foi ministro do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do Brasil no governo José Sarney, de 1985 a 1986. Economista Flávio Peixoto da Silveira, também já foi  secretário de Estado do Planejamento e da Modernização da Gestão Pública.  Mestre em Planejamento Urbano e Regional, e já foi presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Urbano (CNDU), presidente do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) diretor de Habitação da Caixa Econômica Federal, membro do Conselho Monetário Nacional, presidente do Banco Nacional de Crédito Cooperativo (BNCC), secretário de governo da prefeitura de Goiânia e secretário de representação do Tocantins em Brasília.
Iris Rezende
Ex-prefeito de Goiânia e ex-governador de Goiás Iris Rezende Machado nasceu em Cristianópolis, começou sua trajetória política ainda no movimento estudantil e, em 1959, alcançou uma votação histórica, se elegendo vereador por Goiânia. Ocupou os ministérios da Agricultura no governo José Sarney e da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso (FHC).
Em 2004, candidatou-se a prefeitura de Goiânia e no segundo turno enfrentou o então prefeito Pedro Wilson (PT), derrotando-o com 56% dos votos válidos, somando quase 350 mil votos. Iris foi reeleito prefeito de Goiânia nas eleições municipais de 2008. Em primeiro de abril de 2010, renuncia ao cargo para poder ser candidato nas eleições do mesmo ano. O então vice-prefeito Paulo Garcia assumiu a prefeitura.

Leopoldo De Bulhões

  • Cargo: Ministério da Fazenda
  • Nascimento: Goiás, 1857
  • Período: 15/11/1902 a 15/11/1906
  • Governo: Rodrigues Alves

Alfredo Nasser

  • Cargo: Ministério da Justiça
  • Nascimento: Caiapônia, 1907
  • Período: 12/10 /1961 a 26/06/1962
  • Governo: Tancredo Neves

Haley Margon

  • Cargo: Ministério da Agricultura
  • Nascimento: Catalão
  • Período: 1989 a 1990
  • Governo: José Sarney 

Lázaro Barboza

  • Cargo: Ministério da Agricultura
  • Nascimento: Orizona, 1938
  • Período: 14/10/1992 a 25/05/1993
  • Governo: Itamar Franco

Flávio Peixoto

  • Cargo: Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
  • Nascimento: Jaraguá,1945
  • Período: 15/03/1985 a 14.02/1986
  • Governo: José Sarney

Iris Rezende

  • Cargos: Ministro da Agricultura e Justiça
  • Nascimento: Cristianópolis, 1933 
  • Período: 14/02/1986 a 15/03/1990
  • Governos: José Sarney e FHC
  • Período: 22/05/1997 a 01/04/1998
Quem pode ser o goiano a ocupar ministério no governo Dilma?
  • Cargo: 
  • Nascimento: 
  • Período: 


Por: DANYLA MARTINS DA EDITORIA DE POLÍTICA&JUSTIÇA -  DIário da manhã

Nenhum comentário:

Postar um comentário