.Prefeitura de Hidrolândia

.Prefeitura de Hidrolândia

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Faxinal sai do muro na hora certa: O tucano poderá enfrentar a oposição desunida em Cristalina!



João Faxinal

Por: Walter Brito

O muro sempre foi uma arma secreta do PSDB em todo país. Mário Covas foi um murista pioneiro e considerado o inventor da proeza no ninho tucano. Em 1999, o saudoso ex-governador de São Paulo, ao posar de progressista disse que era rigorosamente contra a redução da maioridade penal para 16 anos. Recentemente o PSDB votou em peso, a favor do projeto que Covas se posicionou contra no passado. Dos 52 deputados tucanos no plenário da Câmara Federal 49 votaram pela redução, inclusive o neto do ex-governador paulista, o deputado Bruno Covas. O herdeiro político da tradicional família paulista argumentou da seguinte forma: “O mundo mudou. Quando o partido foi criado, em 1998, ainda existia o muro de Berlim. O muro caiu! Hoje temos a globalização, a internet, as redes sociais e outra juventude. Os jovens de hoje têm mais acesso à informação, por isso o meu voto”, completou o new murista.

O neto do Covas confundiu o muro de Berlim, com a posição clássica dos tucanos desde os seus primeiros anos de vida: “ Em cima do muro”. É o termo correto! Em Goiás, Marconi Perillo, que governa o Estado pela quarta vez, é sem dúvidas um craque na área. Ele é um dos maiores inimigos do PT e do ex-presidente Lula, agora caminha firme e, em cima do muro do Planalto. Ele finge que apoia o governo do PT e morre de paixão pela presidenta Dilma Rousseff. No mesmo sentido, os tucanos de alta plumagem: Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves, nos bastidores incentivam a “tucanização” da manifestação do próximo dia 16 de agosto nas ruas de todo o país, com o objetivo de pedir o impeachment de Dilma Rousseff. Os dois grandes líderes do PSDB e da oposição se postarão nos ninhos da Paulista e Afonso Pena, para assistirem a festa contra a presidenta eleita do Brasil. Dirão eles após o evento e, claro: depois de avaliado os prós e os contra. “Não participamos da manifestação, pois o PT nos acusaria de mentores do terceiro turno”. É o que vai ocorrer!

Na capital brasileira do Cristal, ou seja, Cristalina; cidade de Goiás, localizada a 130 km do Palácio do Planalto, os tucanos também falam grosso, mas na hora certa. Em uma bela mansão num terreno de dez mil metros quadrados, cercada pelo mais famoso muro da cidade, abriga um tucano importante, que passou os últimos anos negando que seria candidato ao Palácio Etienne Lepesqueur (sede da prefeitura municipal). Esta semana, depois de se equilibrar em sua bela muralha, o psdebista João do Faxinal, vice-prefeito da cidade, disse o seguinte num animado bate-papo no Posto do Sabadin (point político frequentado pelos tucanato local): “Eu não queria, mas o povo e o governador Marconi Perillo insistiram. Por isso, já estou na briga”, declarou.

O município com pouco mais de 50 mil habitantes, detém uma das mais importantes plantações de lavoura irrigada do país. Em vista disto, a crise do desemprego não passou por lá. Pelo contrário, Cristalina é um dos municípios que mais empregou em Goiás, em plena crise econômica por qual passa o país. O Agronegócio é tão forte, que algumas indústrias nacionais da área alimentícia se instalaram por lá. A multinacional francesa Bonduelle, maior empresa de comercialização de legumes do mundo, inaugurou sua primeira fábrica na América Latina, no município de Cristalina, no dia 26 de outubro de 2010. Foram gerados na ocasião 500 empregos diretos e mil empregos indiretos. A empresa investirá até 2018, cerca de R$ 120 milhões. Segundo consultores econômicos da Embrapa, o município deve receber até 2020, cerca de R$ 4 bilhões para investimentos na área agrícola, energia e de infraestrutura. De acordo com informações das empresas que estão investindo naquele município vizinho do Distrito Federal, a primeira razão para justificar a mudança para Cristalina é a proximidade dos grandes centros compradores. Outras prioridades são: Abundância de água, pois no município existem 226 rios e nascentes. A alta tecnologia nas lavouras é outro ponto forte, além do incentivo fiscal.

Apesar de o município ter um perfil empreendedor e muito dinheiro passar lá, sem enxergar o o povo; nesse diapasão: a cidade grita por falta de moradia, questiona o esgoto a céu aberto e a educação não funciona como deveria, principalmente na zona rural. E mais, a violência campeia solta. Recentemente em plena luz do dia, o comerciante Valdeir Elias Machado, foi assassinado durante o exercício de suas atividades profissionais na loja Jovem Lar. Ele gerenciou a referida empresa por três décadas. O comerciário era muito popular na cidade, inclusive era cotado para se candidatar a vice-prefeito em qualquer chapa. Assassinato como o que vitimou Valdeir tornou-se uma constante em todo o município, inclusive, na área rural. No período eleitoral, o perigo aumenta. E como aumenta!

Para tentar sanar os problemas mais graves que afligem os munícipes daquele grande celeiro agrícola, a cidade já discute um novo nome para sua administração, cuja eleição se dará em outubro de 2016. De acordo com pesquisa qualitativa feita por uma empresa paulista, o próximo gestor deverá ser muito conhecido pela população, que não aceita mais candidato vindo de fora da cidade. Outra exigência indicada pelos entrevistados por meio da pesquisa, é que o próximo prefeito tenha uma boa relação com os produtores rurais; nem só os grandes produtores e empresários do agronegócio, mas também com os micros e pequenos produtores rurais, além de uma relação forte com os moradores dos bairros. A pesquisa orienta ainda, não votar em projetos faraônicos, como muitos das duas eleições anteriores.

A oposição em Cristalina está dividida e já tem como pré- candidatos os seguintes nomes: Marquinho Abrão pelo PPS, Antonino Camilo de Andrade ( PR), Marcelo Pezão (PTN), Fred Bastos ( sem partido), Guilherme Castelo Branco (PV) e o vereador Daniel do Sindicato (PSL). De acordo com as últimas pesquisas quantitativas feitas na cidade, Daniel do Sindicato lidera com cerca de 30% de intenção de votos. Por outro lado, Antonino Andrade e Marquinho Abrão estão tecnicamente empatados, com cerca de 10% cada.

Entre os candidatos de oposição que militam na política e exerceram cargos de destaque na cidade, Daniel é o que menos erros cometeu por onde passou: no Sindicato dos Agricultores de Cristalina, onde prestou relevantes serviços e sua atuação na Câmara de Vereadores. Neste caso, os seus pares e o povo afirmam que ele está desenvolvendo um trabalho sério, inclusive, agrada sobremaneira os moradores dos bairros da cidade e zona rural. Segundo analistas de plantão, Daniel largou na frente e já trabalha para escolher o vice. A pesquisa qualitativa realizada em todo o município indica uma mulher experimentada na política municipal, como boa opção para sua vice. Indica ainda, que ela tenha serviços prestados e boas relações nas camadas sociais mais elevadas, inclusive no meio empresarial.

João do Faxinal, ao sair do muro, apesar de meio constrangido, mesmo assim, ele se apresenta como o candidato da situação. Ex-presidente do parlamento municipal cristalinense, o empresário nunca escondeu que seu sonho seria chegar ao comando do executivo municipal. Experiente na política e no meio empresarial, Faxinal tem rejeição nos setores menos favorecidos da cidade, principalmente a juventude, tanto dos bairros, como da zona rural e centro da cidade. Analistas que viram a pesquisa qualitativa encomendada por um grande empresário paulista e com interesse na cidade; entendem que, qualquer um dos pré-candidatos naturais citados como vices do Faxinal, ajudará efetivamente a melhorar seu desempenho junto às camadas menos favorecidas da população. Veja os nomes, dentre os quais poderá sair o vice: o vereador Zé Orlando (PSD), o secretário de saúde Maks Wilson Lousada (PSC), a secretária Rose Attié (PSD), a vereadora Lúcia Salles (PSC) e, o chefe de gabinete do prefeito, Valter Tomaz (PSD).

Acreditam os conhecedores da política cristalinense, que com a composição dos partidos da base que apoia a atual gestão e um dos vices citados, o João do Faxinal poderá pular dos seus 8% de intenção de votos para 25%, logo após a convenção. Caso a oposição continue desunida, o próprio líder nas pesquisas, o vereador Daniel do Sindicato perderá espaço e Faxinal ganhará com os pés nas costas a eleição, além de liquidar a fatura gastando menos de R$ 4 milhões. Por outro lado, com a oposição unida, acreditam conhecedores do assunto, que será a eleição mais disputada da história do Entorno. Desta forma poderá ser também a eleição mais cara da história de Cristalina, na casa de R$ 8 milhões a R$ 12 milhões, necessários para subir a rampa do Palácio Etienne Lepesquer em 2017. A oposição unida fará um estrago grande no projeto do Faxinal, inclusive no que se refere às bases de sustentação do atual governo, do qual o tucano é parte.

Cristalina está de parabéns, pois os pré-candidatos são bons, conhecem bem a cidade e são equilibrados. Certamente nenhum deles sairá dirigindo pela contramão. Creio também, que nenhum deles tentará convencer os munícipes de Cristalina, que em um de seus bairros será erguida uma Cidade Universitária; que o engenheiro construtor do Hospital Albert Eistein, construirá uma réplica daquele famoso hospital na cidade do Cristal; que a entrada de Cristalina se dará por meio de um moderníssimo viaduto, imaginado por um famoso artista, que não está mais entre nós; que em Cristalina Velha será erguido um centro comercial, aos moldes do Mercado Modelo de Salvador. Utopias à parte, desejo boa sorte a todos. Que Cristalina dessa vez eleja o melhor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário