.Prefeitura de Hidrolândia

.Prefeitura de Hidrolândia

quarta-feira, 13 de julho de 2016

A negritude brasileira está de luto: morre Luiza Bairros!

Por: Walter Brito
Morreu hoje  em Porto Alegre, a socióloga e ex-ministra da Secretaria da Promoção da Igualdade Racial- SEPPIR, Luiza Bairros. Ela fazia tratamento contra um câncer no pulmão e,  hoje nos deixou,  por volta das dez horas da manhã. Ela foi ministra da SEPPIR, no governo da presidenta Dilma Rousseff, entre 2011 e 2014.
A secretaria foi criada no governo Lula, com o objetivo de diminuir as questões do racismo , bem como: integrar o negro no processo de desenvolvimento da nação brasileira, por meio da igualdade em todos os setores da iniciativa privada e do serviço público.  Certamente a instituição beneficiou de forma muito forte a comunidade negra nacional.
Foi no periodo da Luiza Bairros no poder, que as cotas para estudantes negros tiveram o maior avanço. Vale lembrar, que as estatíscas indicam a inserção significativa de estudantes negros, nos cursos: de medicina e engenharia. Tais cursos eram exclusivos dos filhos das elites brancas. No mesmo periodo, que foram criadas as cotas para a comunidade negra, nos concursos públicos. Nesse sentido, avança Brasil afora, a criação das cotas para a negritude na magistratura.
Qualquer brasileiro de bom senso sabe, que os afrodescendentes nos últimos 13 anos, frequentaram com  mais assiduidade os bancos das universidades, quando o diferencial foram os cursos, considerados de elite, já dito anteriormente. Tudo isso se deu, a partir de 2003, quando Luiz Inácio Lula da Silva assumiu à presidência da República. Foi um tempo também, em que o Brasil teve maior relacionamento comercial e cultural com o continente africano. Quando o Lula assumiu, tinhamos 17 embaixadas africanas acreditadas em Brasília. Hoje, já são 31 embaixadas instaladas na capital brasileira.
Tive a honra de disputar com Luiza Bairros, a indicação para a SEPPIR. Na ocasião, eu contei com o apoio de instituições negras dos 27 estados da federação. Entretanto, a socióloga competente Luiza Bairros, obteve maior apoio político, por meio do Partido do Trabalhadores. Vale lembrar, que a minha participção  na disputa se deu, por meio de companheiros que acompanharam o nosso trabalho na direção da Fundação Cultural Palmares, de 1991 a 1994, bem como, o incentivo dos companheiros do PMDB negro, quando fui vice presidente nacional do PMDB afrodescendente. Tinhamos como presidente, o atual presidente do Sindicato dos Artístas do Rio de Janeiro, o ator Jorge Coutinho. Na ocasião em que dirigi a Palmares,  participamos da negociação, que trouxe Nelson Mandela pela primeira vez ao Brasil. A negociação se efetivou, por meio de uma parceria com o Itamarati, quando o líder sul africano, tinha acabado de deixar o cárcere, onde passou 27 anos. Tive o prazer de acompanhar Mandela e representar o governo brasileiro,  na visita de Madiba,  ao Espírito Santo,  à época governado pelo afrodescendente, Albuíno Azeredo.
O legado de Luiza Bairros é um marco histórico na inserção do negro: nas universidades de forma ampla; nas cotas para o serviço público; bem como o incentivo na área empresarial. Nesta última, a participação do negro ainda é tímida, mas como ocorreu nos Estados Unidos da Améria; tinha que ter o incentivo e agora: avança a cada dia.
O país tem uma dívida histórica com os descendemtes da escravidão. Nos governos do Lula e da Dilama, certamente os avanços ocorreram em todas a áreas, como em nenhum governo!  Vale lembrar, que diversas personalidades, da negritude norte americana, se beneficiaram de alguma forma das cotas raciais nas universidades. Entre tantas personalidades conhecidas no mundo  inteiro, destacamos nesta matéria, as seguintes: Condolezza Rice, Colin Power, Oprah Winfrey e o presidente, Barack Obama.
Luiza Bairros foi uma guerreira, que ajudou a construir uma história, fundamental para a igualdade racial em nosso país. Certamente os afrodescendentes terão um futuro mais digno, mais próspero e o lugar merecido na história.
Os descendentes da escravidão; ajudaram a construir o Brasil e nunca participaram efetivamente de sua administração.
Com o passamento de nossa líder Luiza Bairros, a negritude brasileira está de luto por três dias!


Por: Walter Brito



Luiza Bairros e Dilma Rousseff

Nenhum comentário:

Postar um comentário